Arquivo

Campeonato Piauiense de Futebol 2012

01.11.2012  17h

ALÉM DA CRÔNICA – OPINIÃO

Valdomiro: dos gols como goleador à experiência de treinador. (Foto: Gil Galvão/Ponte Preta Cam)

(Enxuga-Rato contratou vários atletas e não conquistou um dos dois títulos em disputa!)

Por Renneé Fontenele

Parnaíba, PI

Muito antes do início do campeonato desta temporada, Parnahyba e Piauí iniciaram suas respectivas preparações. Pensando em seu centenário, ao Parnahyba caberia conquistar o título com toda força possível, e o fez, de maneira bastante objetiva. Ao Piauí nada mais diferente seria necessário: “apenas” ser campeão e voltar ao topo do futebol piauiense. Dois clubes e duas histórias distintas, evidentemente.

Em meio a tantas cogitações, Aníbal Lemos foi contratado para o difícil trabalho de conquista, vestindo, pela primeira vez, a camisa azulina do litoral. Tudo estava indo bem, até algumas derrotas “inesperadas” interromperem o trabalho do treinador e de seu auxiliar, Cristiano Carvalho. O rumo deles seria o mesmo, mas com outra “roupagem”.

Cristiano Carvalho e Aníbal Lemos, por duas vezes, muito próximos do título. (Foto: Renneé Fontenele/Futebol Piauiense)

O Enxuga-Rato mencionou Viola… Isto mesmo! Viola, o sobremodo conhecido goleador do futebol brasileiro. Mas o centroavante, já calejado, não vestiu a camisa do Enxuga. Estava previsto, contudo!

Insatisfeito com o trabalho de seu treinador, o Galo Carijó então recebeu Aníbal e Cristiano, para o comando técnico tricolor. Do outro lado (do lado azul), Paulo Moroni (que havia sido cogitado no início) chega ao CT do Tubarão, com a mesma missão de Aníbal: levar o Tubarão ao título.

Parnahyba e Piauí, então as duas equipes que “anteciparam” seus trabalhos, visando o certame deste ano, iniciaram uma série de partidas, conseguindo, ao término dos campeonatos disputados, resultados esperados e inesperados.

Pela “dianteira”, a equipe do River articulava uma das duas conquistas: a ideia era conseguir uma vaga na Copa do Brasil de 2013, de qualquer maneira, ou melhor, fosse via Estadual ou Copa Piauí. Não faltou muito para o “Eterno Campeão” chegar a tal, mas havia o Rubro-negro de Oliveira Canindé, persistente, “mineirinho”, dando a volta por cima (velha expressão) e desacreditado pela sua torcida. Desacreditado? Sim, creio!

Ausente no estadual, torcida riverina compareceu na Copa Piauí. (Foto: Israel Araújo/Diário de Teresina)

O “Quase” do River pode, aqui, ser emprestado ao 4 de Julho, que lutou bravamente, mas não obteve a conquista, por detalhes…! Estava previsto que a equipe do Caiçara não faria uma boa campanha. Ah, sim, estava! O Leão do Norte disputou o certame com a equipe base, terminando na lanterna da competição. Conseguiu, todavia, marcar a estreia de Valdomiro como treinador.

Na equipe flamenguista, estava estampado o “caminho” para o título: duas finais e uma conquista. A equipe rubro-negra retira Danilo Queiroz do comando técnico, substituído por Oliveira Canindé, encerrando a temporada com a segunda vaga da Copa do Brasil de 2013. Um “ufa!”, merecido, em relação ao ano passado! Danilo, por sua vez, encaminhou-se ao Leão do Marataoan, sendo campeão estadual sub 18 (Danilo é “Pé-quente”, pois!).

Enfim, em relação aos torcedores, mais uma vez a torcida do Parnahyba foi destaque do campeonato, comparecendo dentro do esperado, o que já acontece há muitos anos. Coisa parecida a torcida riverina fizera, na Copa Piauí, destacando-se, acreditando em sua equipe, mesmo perdendo a final para o arquirrival Flamengo.

Com o retorno de Cori e Barras, e a ausência dos clubes de Campo Maior, a tabela da próxima disputa estadual já foi divulgada e, com ela, o sentimento de conquista articulado pelo torcedor dentro das possibilidades de seu clube e do “tamanho” de sua emoção. Que venha a temporada 2013 e muita bola na rede!

Piauí investiu, mas não conseguiu resultado esperado nas duas competições. (Foto: Renato Bezerra/Portal Em Dia)

(Rubro-anil conquistou a Taça Cidade de Teresina, troféu do returno do estadual!)

Além do Parnahyba, a equipe do Piauí Esporte Clube iniciou “muito cedo” suas atividades. Visando uma participação competitiva e a conquista do título, o Enxuga-Rato, ao final das duas competições, conseguiu levar o segundo turno do estadual, e encerrou sua participação na Copa Piauí em quarto lugar.

Não fossem alguns dos resultados muitos surpreendentes, o tricolor vibrante teria chegado mais longe, sem sombra de dúvidas. Mas o futebol, dentre outras coisas, apresenta-se imprevisível, vez por outra, não possibilitando chances de recuperação, em alguns casos.

O Piauizão, então, planejou, contratou, treinou, jogou e esteve muito próximo das finais do estadual. No turno inicial, contudo, a campanha não refletiu todo o trabalho da pré-temporada; mas, no returno, a boa campanha rubro-anil revelou o que o grupo era capaz de realizar, embora tenha terminado o campeonato na sexta colocação, com 19 pontos.

Não realizando uma Copa Piauí de maneira satisfatória, restou ao Enxuga-Rato, entretanto, continuar com o planejamento, revendo pontos e caminhando rumo à conquista do título, seja do estadual, seja da Copa Piauí de 2013.

Parnaíba – PI

Renneé Fontenele/ futebolpiauiense.wordpress.com/

(Desde 2010, clube picoense disputa os campeonatos enfrentando vários problemas!)

Quatro vezes campeã piauiense de futebol profissional, a Sociedade Esportiva de Picos terminará o ano corrente sem nenhuma perspectiva para o ano seguinte. Clube de grande e apaixonada torcida, o Zangão do Piauí, como é carinhosamente conhecido, ainda lida com problemas que parecem intermináveis.

Ao certo, não se sabe do início dos problemas auriverdes, mas são problemas de várias ordens, envolvendo o repasse da Prefeitura, patrocinadores, ações trabalhistas, confisco das rendas, acordos com hotéis, etc.

Nesta temporada, a equipe auriverde não pode fazer um elenco competitivo, capaz de conquistar o campeonato ou mesmo chegar às semifinais do estadual, situação que, ao passar dos anos, vem decrescendo bastante: em 2010, por exemplo, a equipe terminou a competição em 3º lugar, após 7 vitórias, 5 empates e 6 derrotas; em 2011, o Zangão caiu de produção, terminando em 5º lugar, depois de 5 vitórias, 6 empates e 5 derrotas. Neste ano de 2012, o auriverde picoense caiu ainda mais, ficando em penúltimo lugar (7º) na tabela, com apenas 4 vitórias, 1 empate e 9 derrotas.

Pelos números, observa-se que a cada ano a produção auriverde é muito menor, e uma expectativa negativa cerca o torcedor da SEP, já algum tempo sem conquistar um título. Não há, no momento, solução pronta, de modo a resolver todos os impasses que atormentam a Sociedade Esportiva de Picos, mas haja, talvez, condição de iniciar a resolução que dará novos rumos ao Zagão do Piauí.

Parnaíba – PI

Renneé Fontenele

O ex-treinador do Caiçara foi assassinado, covardemente, na última quarta-feira, dia 19, no Rio de Janeiro, sua cidade natal. Rosan Souza era ex-jogador de futebol, treinador e olheiro. Em sua página, no Linkedin, mencionou: “Sou perseverante e nunca desisto do que busco, luto com as dificuldades, pois sei que um dia vai acontecer. Tenho Fé e estou descansando no Senhor. Ele é meu Pastor, e nada me faltará”, resumiu Rosan, em seu perfil.

Rosan havia trabalhado no Núcleo Oficial do Vasco da Gama e no Nacional Atlético Club. Em 2011, o treinador estava no comando técnico da Sociedade Desportiva Serra Futebol Clube, clube capixaba. Em 2012, veio para o Piauí, assumir o Caiçara Esporte Clube, após Valdomiro deixar o comando técnico da equipe alvirrubra.

Em Campo Maior, Rosan fizera muitos amigos, mesmo não conseguindo resultados positivos no comando do Leão do Norte. Voltando ao Rio de Janeiro, depois do término do campeonato piauiense, Rosan chegava de uma Reunião, sendo assassinado no interior de uma padaria, na cidade do Rio de Janeiro, onde residia com a família.

Jogadores do Caiçara e a população campomaiorense estão revoltados com o acontecimento trágico envolvendo Rosan. O ex-treinador alvirrubro contava cinquenta anos de vida.

Parnaíba – PI

Renneé C Fontenele

(Após a grande conquista, Tubarão prossegue firme em seu planejamento!)

Havendo conquistado “a estrutura” do Projeto Azulino deste ano, que foi o Título Estadual, Paulo Ricardo Moroni permanecerá na equipe. Entre outras pautas tratadas na reunião desta terça-feira, na sede social do clube, a Diretoria e o Conselho Deliberativo resolveram sobre a permanência do técnico campeão.

Paulo Ricardo Moroni, ou apenas Moroni (como é bastante conhecido no Piauí), três vezes campeão piauiense, dará prosseguimento ao Projeto do Clube.

Com isso, o Parnahyba Sport Club continuará suas atividades normalmente, após pequeno recesso, pela conquista do título. Quanto ao elenco, a maioria dos atletas ficará, a fim de disputar a Copa Piauí, que iniciará dia 5 do próximo mês.

Com o mesmo pensamento anterior, a Diretoria e o Conselho Deliberativo pretendem fortalecer a equipe azulina, dinamizando suas atividades, conquistando, ainda mais, o espaço devido, correspondendo à tradição do clube de maior expressão do futebol piauiense.

Por Renneé C Fontenele/Assessoria de Imprensa do PSC

Muitas vezes ação do homem se confunde com a própria história do seu tempo e de sua geração. Aos poucos, os sonhos de vida vão sendo construídos, cada tijolo que se põe na parede da determinação humana, afinal a história da cada qual vai se delineando, até se consagrar como um vencedor.

Pedro Alelaf deixou Floriano, sua terra natal, muito jovem para buscar novas conquistas na cidade praiana de Parnaíba. Lá se tornou empresário no ramo de cinema e por último de venda de material esportivo, comerciante respeitado por todos que o conhecia.

Dedicou-se a maior parte da vida ao Parnaíba, primeiro como jogador e após como dirigente, enfrentando todo tipo de dificuldades, isto fui testemunha como representante do Parnahyba Sport Club de 1991 a 2001, junto a Federação de Futebol do Piauí. Sempre e sempre, demonstrava ao longo dos seus 84 anos de vida, bem vividos, que teve a determinação nos obstáculos que via pela frente, com o pensamento voltado para o grande Arquiteto do Universo. Buscava o arco sóbrio da felicidade, mostrando aos familiares e amigos a posição firme de homem leal, amigo e honestidade nos atos praticados. Recebia com muito afago os seus amigos na sua residência; na mesa não podia faltar à coca-cola em litro, e kibe, assim exclamava ao convidar aos amigos para uma refeição: “Carmélia, pode botar a refeição que meus amigos estão aqui”.

Pedro Alelaf, o Comendador, como gostava de ser chamado, foi um cidadão de bem inquestionável, amigos de todos; como esposo da Dona Carmélia, de quem recebi todo apoio, foi um maridão amoroso e dedicado. Como pai, sem comentário, modelo. Como desportista, todo o Piauí o conheceu, cuja conduta foi um oceano de riquezas e forte contribuição do esporte parnaibano, piauiense e até brasileiro, dirigindo por mais de 30 anos a agremiação mais antiga do futebol piauiense, sempre presente em todas as competições promovidas pela mentora do nosso futebol.

Com isso, pode-se dizer que é fácil se render homenagem a essa figura, Pedro Alelaf, que materialmente não está entre nós, porém acredito sem medo de errar que ele obteve a permissão do plano espiritual para estar, neste momento, aqui entre nós.

Então, quero saudar e render minha homenagem a todos os parnaibanos pela conquista do quarto Título de Campeão do Futebol Piauiense, pelo nosso querido Parnahyba Sport Club, por coincidência também começa com o “P”, Pedro Alelaf, este monstro sagrado do nosso glorioso futebol.

Senhor Deus e a Virgem Maria, inspirado na vontade que Pedro Alelaf tinha pelo crescimento do nosso futebol, rogo aqui na presença de todos que ilumine a cabeça dos atuais dirigentes e que possam reposicionar a melhoria do nosso futebol, assim encontrando o caminho do sucesso, que abençoe a todos.

Celso Carvalho Lima

Desportista e Cronista Esportivo

(Alessandro, Fabinho e Moroni são os melhores de 2012)

A Solenidade de encerramento do Estadual 2012 aconteceu ontem (16), em Teresina. A afiliada Globo no Piauí, TV Clube, e a Federação de Futebol do Piauí, promoveram uma festa pomposa, premiando os destaques do campeonato piauiense, com o Troféu TV Clube 40 Anos.

Pra não fugir à regra, a equipe azulina foi premiada com Alessandro, escolhido o melhor primeiro volante; Fabinho, como melhor meia direita e Paulo Moroni, melhor treinador, indiscutivelmente. Fabinho, o goleador azulino neste certame com 9 gols, ainda faturou o Troféu Rui Lima, como o Craque do ano.

O Troféu Rui Lima é conferido ao destaque do ano. Individual, o Troféu vem premiando desde 1986, e é uma homenagem ao ex-atleta piauiense, falecido em São Paulo, oportunidade na qual defendia as cores do Juventus, em abril de 1982. Todas as edições foram as seguintes:1986 – Luiz Eduardo (River), 1987 – Zuega (Flamengo), 1988 – Guará (4 de Julho), 1989 – Carlão (Paysandu), 1990 – Malta (4 de Julho) e Zé Augusto (Tiradentes), 1991 – Walberto (Cori-Sabbá), 1992 – Batistinha (4 de Julho), 1993 Ademir Patrício (4 de Julho), 1994 – Serginho (Picos), 1995 – Brinquedo (Caiçara), 1996 – Guará (River), 1997 – Brinquedo (Picos), 1998 – Ieiê (Picos), 1999 – Clayton (River), 2000 – Gerônimo (4 de Julho), 2001 – Jorge Luiz (River), 2002 – Esquerdinha (River), 2003 – Sílvio (Flamengo) e Maradona (River), 2004 – Paulinho (Oeiras), 2005 – Daniel Sobralense (Parnahyba), 2006 – Antônio Carlos (Piauí), 2007 – Osvaldo (River), 2008 – Erivan (Barras), 2009 – França (4 de Julho), 2010 – Zé Rodrigues (Comercial), 2011 – Isac (Parnahyba), 2012 – Fabinho (Parnahyba).

Fabinho, portanto, é o terceiro jogador do clube azulino a receber o renomado Troféu.

Parabéns aos guerreiros azulinos, aos patrocinadores deste ano e de sempre; aos amigos da Imprensa; todos os profissionais do Parnahyba Sport Club, e aos seus torcedores fiéis, o agradecimento profundo, pelo título…

Por Renneé C Fontenele/Assessoria de Imprensa do PSC

PARNAHYBA CONQUISTA O TÍTULO DE 2012: O CAMPEÃO VOLTOU!

(Eles são grandes, mas o Tubarão é enorme!)

Foi uma emoção indescritível. Quem foi ao Piscinão presenciou algo de muito valor. Sentimentos, ansiedades, enfim, tudo o que envolve uma torcida apaixonada foi exposto na tarde de hoje, dia 15 de julho de 2012.

O Tubarão entrou em campo e logo foi recepcionado pela sua massa que estava em peso, pronta a apoiar o clube mais antigo do Estado. Mas a tarde deste domingo prometia muita emoção, algo à flor da pele, como se diz.

Guerreira, a equipe azulina jogou com o regulamento “debaixo do braço”. Aos 17 minutos, contudo, Cleiton Cearense deixa o gramado expulso pela arbitragem, em jogada com o adversário pela esquerda do ataque azulino. Da Silva também não continuava em campo, em virtude de um estiramento muscular na perna direita. Aplaudido pela massa azulina, Da Silva deixa a partida, entrando em seu lugar Puxinha.

O primeiro tempo, entretanto, terminava empatado, sem gols.

Na segunda etapa, logo aos 3 minutos, o Flamengo tem a oportunidade de marcar, através de uma penalidade marcada, bastante contestada pelo clube azulino. Após o gol do Flamengo, a equipe azulina cresce em campo, voltando a atacar com mais frequência. William, de falta, quase marca.

Noutra feita, Luciano, na marca penal, bate fraco, para a defesa de Robson. Puxinha também teve sua oportunidade de marcar, mas a zaga rubro-negra estava impecável.

Os minutos finais da partida foram administrados pela equipe de Paulo Moroni, que, ao som ensurdecedor de é campeão, ao coro de mais de 6 mil pessoas que lotavam as dependências do Piscinão, soube muito bem esperar o apito final.

Promessa cumprida: não só os atletas azulinos, e o treinador Paulo Moroni, como a Diretoria do clube, mas a torcida, novamente, foi o grande diferencial nesta final. Aliás, em todos os jogos, diga-se, em todos os jogos, porque, “o campeão voltou”!

O Tubarão foi campeão com Rodrigues; Gilmar Baiano, Erivaldo, Marcos Gasolina, Cleiton Cearense; Alessandro, Luciano, Totonho, Jorginho, (Damisson), e William; Da Silva (Puxinha) e Renatinho. Técnico: Paulo Moroni.

O Flamengo foi vice-campeão com Robson; Bruno Paraíba, Marcelo, Wildinho e Samuel; Zuza, Bruno Potiguar (Joginho Paulista), Célio e Flavinho; Italo e Ranielson (Darlan). Técnico: Oliveira Canindé.

Arbitragem: Francisco Pereira de Lima Júnior – Carlos Lustosa Filho e Tiago Costa Leitão – Edmilson Timóteo e José Walmir

Renda: R$ 45.320 – Público: 4.607 pagantes (Mais de 6,000 torcedores assistiram ao grande jogo entre Parnahyba e Flamengo)

Por Renneé C Fontenele/Assessoria de Imprensa do Parnahyba Sport Club

Em 2004 foi assim: título e muita vibração aos quatro cantos do Piscinão. Lotado, o Piscinão é concebido como tal por preencher os quatro cantos do estádio completamente lotados.

Assim sendo, a Diretoria do Parnahyba proporciona ao torcedor azulino mais uma opção na grande final deste certame. Domingo, dia 15, o Tubarão entrará em campo com sua grande torcida em peso, lotando geral, arquibancada lateral e arquibancada móvel, atrás do gol.

Válido salientar que os valores dos ingressos (já à venda, desde o dia 13 na sede social do Clube) não sofrerão nenhuma alteração. Desse modo, a geral custará 10,00; a arquibancada lateral 15,00 e a arquibancada móvel (atrás do gol) também 15,00.  A meia (estudante) continuará valendo, claro!

O mais, massa azulina, é fazer a festa no Piscinão, coisa que já é peculiar da torcida apaixonada e fiel do Tubarão.

Por Renneé C Fontenele/Assessor de Imprensa do PSC

(Em 22 partidas realizadas, Polozzi conseguiu 9 vitórias, 5 empates e 8 vitórias)

Após ser Campeão do Torneio Movimentação, ser eliminado na primeira fase da Copa do Brasil, chegar à semifinal do campeonato piauiense e conduzir a equipe azulina de Campo Maior no Brasileiro Série D, somando, em três partidas, 1 ponto apenas, Fernando Polozzi deixa o comando técnico do Comercial.

Arnaldo Pericó, Diretor de Futebol do Comercial, dissera que os jogadores não mais suportavam trabalhar com Polozzi e que o treinador não poupava críticas ao elenco, inclusive mencionando a qualidade técnica dos atletas após a derrota em São Luis, questionando, também, a própria conquista referente ao Torneio Movimentação. Até a Diretoria não foi poupada por Polozzi, recebendo críticas que, para os dirigentes do clube, eram infundadas. Por tudo isso, a Diretoria resolveu demiti-lo.

Ontem (11), a Diretoria informou ao treinador a sua dispensa do clube, ficando em seu lugar, interinamente, o ex-jogador Brinquedo, auxiliar técnico do Comercial. Ainda disputando a Série D, o Comercial muito em breve deverá revelar o substituto de Polozzi, a fim de que a equipe consiga a classificação para a fase seguinte da competição nacional que ora disputa.

Parnaíba – PI

Por Renneé C Fontenele

(Com o título mais próximo, Parnahyba mostra empenho e qualidade tática e técnica no Lindolfo Monteiro, diante do Flamengo!)

Pela primeira partida da final do estadual de 2012, o Tubarão enfrentou o Flamengo no Lindolfo Monteiro, na noite de hoje (11).

A bola rolou e o confronto em sua etapa inicial mostrou a igualdade entre as duas equipes. Mas o Parnahyba tomou a iniciativa, partindo para o ataque com Cleiton Cearense, tentando, em duas oportunidades, abrir o marcador, em dois chutes ao gol rubro-negro. Foi com Fabinho, porém, a maior oportunidade de gol. Aos 35 minutos, após aplicar um lençol no arqueiro Robson, o artilheiro azulino manda a bola por cima da meta.

Na segunda etapa do embate, o Parnahyba principiou com maior volume de jogo. Fabinho, pela esquerda, quase marcava, quando a linha de frente azulina descia no contra-ataque, aos 15.

Com a saída de Renatinho e Luciano, sendo substituídos por Da Silva e Jorginho, o ataque tomou outra forma. Mais forte em campo, o Tubarão pressionava, sobretudo nos contra-ataques. Jorginho, aos 25, enxerga Fabinho, que, de calcanhar, serve ao meia  William, mandando para as redes rubro-negras, sem defesa para Robson: 1 a 0 Tubarão.

Com a vitória, a equipe azulina poderá até perder por 1 a 0, por exemplo, na partida de volta, para conquistar o título deste ano. Nova vitória, empate ou derrota mencionada domingo próximo em Parnaíba, o Tubarão conquistará mais um título estadual.

Por Renneé C Fontenele/Assessoria de Imprensa do PSC

(Dois clubes, duas histórias, 4 técnicos e uma vitória para cada lado.)

Parnahyba e Flamengo, como mostra o histórico, já revela um confronto sobremodo equilibrado, o que leva o torcedor a concluir que será uma final muito emocionante.

Do lado Rubro-negro, Oliveira Canindé, campeão pelo Tubarão em 2006, ocasião do tricampeonato azulino. Pelo lado azulino, Paulo Moroni, campeão pelo Flamengo em 2003 e 2009.

Como se vê, ambos os treinadores são conhecedores dos dois clubes em questão. Parnahyba e Flamengo, já neste ano, fizeram duas partidas, ambas com treinadores diferentes. No flamengo, Danilo comandou as duas partidas; no Parnahyba, Aníbal Lemos conduzia a equipe azulina. Tanto Danilo quanto Aníbal foram dispensados dos respectivos clubes. Hoje, Paulo Moroni e Oliveira Canindé protagonizam a grande final do certame, entre azulinos e rubro-negros. Confira, abaixo, a trajetória dos finalistas:

O Parnahyba estreou contra o Flamengo, em Parnaíba, vencendo a partida por 1 a 0. Depois, o Tubarão venceu a Sociedade Esportiva de Picos por 1 a 0, em Picos. Em Parnaíba, recebeu o River, empatando a partida em 1 a 1. Depois, recebeu o Piauí, aplicando uma goleada no Enxuga-Rato de 5 a 0 no Piscinão. Em seguida, bateu o Caiçara em Campo Maior por 3 a 1. Em Capitão de Campos, sofreu goleada do Comercial por 3 a 0. Em Parnaíba, goleou o 4 de Julho por 3 a 0. Foi à capital e sofreu a segunda goleada, para o Flamengo: 5 a 2, fato que resultou na queda de Aníbal Lemos. Empatou em 0 a 0 com a Sociedade Esportiva de Picos, no Piscinão.

Já sob o comando de Paulo Moroni, enfrentou o River no Lindolfo Monteiro, vencendo o confronto por 3 a 1 (pelo lado tricolor, Aníbal Lemos fazia sua estreia).

Em seguida, empatou com o Piauí, em 2 a 2, também em Teresina. No Piscinão, goleou a equipe do Caiçara por 4 a 0. Recebeu a equipe do Comercial, perdendo a invencibilidade no Piscinão: 1 a 0 Comercial. Foi à cidade dos vagalumes, em Piripiri, batendo o 4 de Julho por 1 a 0. Classificado, retornou a Piripiri, empatando em 0 a 0 com o 4 de Julho. Na volta, em Parnaíba, o novo empate com o 4 de Julho, também 0 a 0, leva o Tubarão à final do estadual.

O Flamengo fez sua estreia contra o Parnahyba, no Piscinão, perdendo por 1 a 0. Em seguida, venceu o Piauí por 1 a 0, em Teresina. Na sequência, goleou o Caiçara em Campo Maior, por 3 a 0. Aí veio o clássico, contra o River, empatando: 1 a 1. Enfrentou depois o 4 de Julho, em Piripiri, perdendo por 2 a 0. Em Teresina, no LM, voltou a vencer, batendo a Sociedade Esportiva de Picos por 3 a 1. Recebeu o Comercial, no LM, empatando em 1 a 1.

Em seguida, venceu o Parnahyba por 5 a 2, no LM. Diante do Piauí, novo empate, em Teresina: 1 a 1. Recebeu o Caiçara, em Teresina, goleando-o por 7 a 1. No clássico, pelo returno, empatou novamente com o River, 2 a 2 o placar. Após o empate com o River, recebeu o 4 de Julho no LM, empatando em 1 a 1, resultado que ocasionou a queda de Danilo. Foi à cidade modelo, em Picos, e venceu o Zangão por 2 a 0.

Sob o comando de Oliveira Canindé, enfrentou o Comercial, em Campo Maior, perdendo a partida por 1 a 0. Classificado, recebeu o Comercial no Lindolfo Monteiro, aplicando-lhe goleada: 4 a 1. Na volta, em Piripiri (porque o Comercial havia perdido o mando de campo, em virtude da interdição do Deusdeth de Melo ), a equipe Rubro-negra empatou com o Comercial em 1 a 1, garantindo a vaga para a grande final.

Parnahyba e Flamengo, primeiro duelo, dia 11, no Lindolfo Monteiro, em Teresina, às 20h.

Parnaíba – PI

Renneé C Fontenele

(Após a folga pela manhã, a bola rolou no gramado do Piscinão à tarde!)

Custou? Talvez, mas saiu: adversário do Tubarão será o Flamengo em duas oportunidades: uma em Teresina, outra em Parnaíba.

Pensando na grande final do estadual deste ano, o Parnahyba Sport Club esteve hoje (6), no Piscinão, realizando coletivo, no turno da tarde. A equipe voltou a treinar com bola, após treinamentos físicos puxados no início da semana.

O Tubarão vem preparando seu setor ofensivo, bastante mencionado por Paulo Moroni após a classificação diante do 4 de Julho. Moroni, inclusive, não descuida do defensivo, embora, para o Treinador, a defensiva azulina seja muito eficaz.

Com quase todos os jogadores do elenco à sua disposição, o treinador azulino deve contar com a técnica e raça do ala Jorginho, que ainda sente a contusão na virilha. Jorginho, depois de “sacrifício” contra o 4 de Julho (porque ainda não estava totalmente recuperado – como ainda não está), agitou a galera azulina na geral e arquibancada, dando maior poder ofensivo ao ataque.

Para a primeira partida da final, em Teresina, dia 11, o Ala é praticamente certo na lateral direita, sendo bastante esperado pelo torcedor azulino. Da Silva é outro nome esperado, em virtude da penalidade desperdiçada contra o Colorado, o centroavante azulino terá a oportunidade de despontar, voltando a balançar as redes do adversário.

Parnahyba e Flamengo jogarão dia 11, às 20h no Lindolfo Monteiro. Na volta, dia 15, no domingo, portanto, o Tubarão receberá a equipe Rubro-negra no Piscinão, para o último embate desta temporada, às 16h.

Renneé C Fontenele/Assessor de Imprensa do PSC

(Certa feita, cronista esportivo de outra região usou site da FFP como símbolo de chacota!)

Sai gestão, entra gestão… E o site da Federação de Futebol do Piauí se caracteriza pela desatualização, infelizmente.

Pra que se tenha uma ideia, a semifinal do campeonato piauiense já apontou os dois finalistas da grande final e o site ainda está destacando a partida de ida entre Parnahyba e 4 de Julho, de modo que a segunda partida, já realizada em Parnaíba, ainda não aconteceu, “segundo” o site. Para a página, Flamengo e Comercial ainda não jogaram, visto que o confronto já aconteceu (ontem, dia 05, à noite em Piripiri), sendo o Flamengo o segundo finalista do campeonato.

Outro fator não passa despercebido aos olhos atentos do torcedor que enxerga “além do nariz”: os símbolos de alguns clubes mostram cores diferentes das originais, como é o caso do símbolo do Parnahyba, mostrando um azul turquesa, visto que o azul do Parnahyba, embora seja muito parecido com azul cobalto, revela um azul marinho. Aliás, em reunião na sede social do Parnahyba Sport Club ainda nesta semana, o Conselheiro Osvaldo Brandão disponibilizou o legítimo símbolo do Parnahyba, em muito diferindo do que é publicado, inclusive sua forma e cor.

Pois bem, voltando aos aspectos do site da FFP, dos “destaques” o mais em evidência é este: “Definida a tabela de jogos da Fase Semifinal”. Ora, a semi já foi realizada, o que está por vir é a grande final do certame e nada há acerca dela, ora, pois!

Pelo visto, a única constância na FFP é não haver coerência em grande parte de suas ações, sendo alvo de chacotas por cronistas esportivos de outras praças…

Parnaíba – PI

Renneé C Fontenele

(Parnahyba e Flamengo farão a grande final do estadual deste ano!)

Assim como fizera o Parnahyba diante do 4 de Julho, o Esporte Clube Flamengo, jogando com o Regulamento “debaixo do braço”, conseguiu sua classificação para a final do campeonato piauiense de futebol da temporada atual.

Diante de um público resumido em Piripiri, na Arena Colorada (pouco mais de 200 torcedores), a equipe Rubro-negra despachou o Comercial na partida de volta, pela semifinal do certame, na noite de hoje (5).

Juari, aos 47 do primeiro tempo, colocou o Comercial à frente: 1 a 0. Não contava a equipe azulina de Campo Maior, porém, com o gol de Jorginho Paulista, aos 22 da etapa complementar, empatando o confronto: 1 a 1, placar que encerrou o embate de volta entre as duas agremiações.

O empate classificou a equipe rubro-negra, e eliminou o Comercial. Agora, o Flamengo decidirá o título estadual de 2012 com o Parnahyba, em duas partidas emocionantes: a primeira, em Teresina; a segunda, em Parnaíba.

Comercial – Neto; Thiago Silva (Jefferson Pipoca), Robson, Bruno Ernandes e Romano; Jonas, Juari (Dedé), Fábio Ubajara e Barata; Zé Rodrigues e Toni (Janes). Técnico: José Fernando Polozzi.

Flamengo - Robson; Bruno Paraíba (Jorginho Paulista), Marcelão, Wildinho e Samuel; Zuza, Bruno Potiguar, Célio e Flavinho; Ítalo (Ranielson) e Luiz Henrique (Darlan). Técnico: Oliveira dos Santos Lopes (Oliveira Canindé).

Parnaíba – PI

Renneé C Fontenele