21.12. 2012 10h27

Danilo Queiroz também no profissional do Leão? A opinião é minha!

(Danilo Queiroz, pelo trabalho tanto dentro e fora dos gramados, dispensa questionamentos!)

Por Renneé Fontenele

Parnaíba, PI

Alguns colegas da imprensa ficaram surpresos quando Danilo Queiroz foi anunciado treinador da equipe principal do Barras Futebol Club.  A confirmação partiu do presidente do clube barrense, Paulo Afonso Silva.

Danilo, também no profissional do Barras! (Foto: J. Bahia)

Danilo, também no profissional do Barras! (Foto: J. Bahia)

Ora, não há razão para surpresa, caros colegas! Danilo, pois, demonstrou em campo todo seu potencial quando disputava o campeonato piauiense, vestindo a camisa 10 do Tubarão do Litoral. Aliás, para muitos torcedores azulinos, Danilo tornou-se ídolo de uma época de grandes conquistas. À beira do gramado, não fora diferente. Neste ano, fez a base do Flamengo que chegou às finais das duas maiores competições do estado piauiense. E, para rechear o seu trabalho feito com esmero, conquistou, de maneira inédita, o campeonato piauiense de futebol sub-18, com o Leão do Marataoan.

Haveria, então, dúvida de quem seria o treinador do Leão profissional no certame que se aproxima? Evidente que não! Poderia haver questionamentos (pelo menos, de minha parte) se Júlio Araújo fosse confirmado treinador da equipe, como fora, ainda, cogitado.

Pois bem, agora é esperar toda sorte do mundo e que Danilo Queiroz possa usar todo seu potencial e conquistar mais um feito inédito, passando à fase seguinte da competição em São Paulo e retornando aos gramados piauienses à frente, mais uma vez, do Leão do Marataoan que tanto alegria trouxe ao modesto futebol piauiense, um dia.

______________

06.12.2012 12h58

Cajuína Esporte Clube: comemorar ou lamentar? A opinião é minha!

(Do pranto à euforia – clube piauiense de futsal é sinônimo de orgulho para os piauienses!)

Por Renneé Fontenele

Parnaíba, PI

Não sei se inicio com a comemoração ou com a lamentação… A questão é difícil, realmente…

Creio, porém, estimados leitores, pelo curso de nosso modesto futebol, que devo procurar na lamentação algo que venha conter a minha inquietude em não conquistar um título tão importante, alegrando-me, então, com o acesso conquistado. Afinal, estar na elite do futebol brasileiro também é uma conquista, não é mesmo?

Cajuína deixa escapar título nacional. (Foto: Alberir Pontes)

Cajuína deixa escapar título nacional. (Foto: Alberir Pontes)

Mas quero, aqui, manifestar todo o meu bairrismo, mencionando minha tristeza pela derrota para o Treze por 3 a 1, de virada, na grande final da 39ª Taça Brasil Correios de Futsal Adulto Masculino da 2ª Divisão, campeonato disputado em Campina Grande, na Paraíba.

Ora, amigos e amigas piauienses, pensava eu que o nosso representante rubro-negro nutria, ao disputar a partida final, o mesmo pensamento que o zagueiro Erivaldo, do Parnahyba Sport Club, na oportunidade da final do certame contra o Flamengo: ‘se chegamos até aqui, agora é sermos campeões’, pontuou o beque azulino, na ocasião.

Não, o Cajuína não alimentava tal pensamento! Estava ‘de bom tamanho’ o acesso para a divisão principal do futsal brasileiro. O resto era consequência, como afirmou o artilheiro da equipe.

Todavia, eu, cá, numa expectativa ‘gigantesca’, super ansioso em dizer, aos quatro cantos, que o Cajuína seria campeão brasileiro, ainda que da segunda divisão. Pois bem, não me foi possível…

Desculpem-me, mas não me conformo com a derrota na final citada, porque ‘julgo’ o Cajuína a melhor equipe do campeonato e a conquista do título, a meu ver, só seria questão de tempo. Acredito na dificuldade de se chegar à final de uma competição como a recentemente disputada, envolvendo equipes de vários estados do Brasil.

Por isso, e por outros fatores, eu lamento a derrota para o Treze, comemorando, também, o acesso para o ano vindouro na elite do futebol brasileiro. Além do mais, o Cajuína merece toda a nossa estima e nossa euforia, embora haja, no íntimo daquele piauiense bairrista, um pouco de tristeza pela interrupção do grito de campeão.

________________

24.10.2012  09h57

A ALTERAÇÃO DO SALDO DE GOLS NAS SEMI E FINAIS DO PRÓXIMO CERTAME

Por Renneé Fontenele

Parnaíba, PI

(A pedido de Jankel, presidente do Flamengo, FFP, através de votação, retira o critério de gols das semi e finais do campeonato piauiense do ano vindouro!)

Como o torcedor internauta pode acompanhar aqui, a Federação de Futebol do Piauí realizou (dia 16 último) um arbitral, visando, entre outros temas, discutir e definir parâmetros do certame de 2013.

Pois bem, o calendário de 2013 está distribuído de forma equilibrada, conforme os estaduais de outras regiões do país, o que foi um “avanço”. Agora, como acontece em nosso futebol, um elemento não consegue evoluir sem prejuízo de outro, infelizmente. A alteração feita em relação aos gols das semifinais e finais mostra o regresso. Ora, já havíamos superado isso, não?

Em 2011, mesmo abrindo vantagem de 3 gols na partida inicial da final do returno, Parnahyba foi eliminado pela ausência de saldo de gols, em Piripiri. (Foto: Antonio Carlos/Esporte do Bom)

O critério que será utilizado em 2013 foi o mesmo que retirou do Parnahyba, em 2011, o título do segundo turno. Observe: na primeira partida da final do returno de 2011, o Parnahyba fez 3 a 0 sobre o 4 de Julho, em Parnaíba. No jogo de volta, em Piripiri,  o 4 de Julho fez 4 a 2 no tempo normal, resultado que, se considerados os gols, daria o título do returno ao Parnahyba – nada mais do que justo, na minha opinião. Na prorrogação (justamente porque os gols não eram considerados), o 4 de Julho fez 1 a 0, eliminando o Parnahyba.

Este tipo de critério retira a vantagem daquele clube que, jogando em casa, aplica uma goleada em seu adversário, podendo até perder a segunda partida, desde que seja por placar inferior – o que também é justo, a meu ver.

Outro fator que surge, como consequência do critério retirado pela FFP, é a desmotivação na primeira partida após um ou dois gols conseguidos, de onde a equipe em vantagem não mais se motiva a criar outras situações de gols, perdendo a dinâmica do jogo, visto que o saldo de gols não será critério de desempate. Em outras palavras, a equipe que marcar o primeiro gol tende a segurar a partida a fim levar o “magro” resultado para o próximo confronto, havendo a torcida presente contemplado apenas um ou dois gols.

Assim sendo, caros amigos e amigas, a Federação de Futebol do Piauí quase em nada mudou em relação ao que era anteriormente. Eu disse “quase”, dada “evolução” inexpressiva de até então! Pelo menos, houve uma evolução, ora!!

_______________________

LEÃO E FLU ENFRENTARÃO “PEDREIRAS”, MAS A EXPECTATIVA NUNCA FOI A MELHOR

(Apesar das diferenças estruturais, equipes piauienses representarão muito bem o estado na Copinha de 2013).

15.10.2012

A expectativa que ora toma conta dos torcedores de Barras e Fluminense provém da mesma fonte: a qualidade técnica dos jogadores de ambas as equipes. Por exigir dos participantes uma qualidade de alto padrão, a Copa São Paulo, com a participação do Fluminense em 2011 e o bom futebol do Barras no estadual deste ano, está sendo muito aguardada.

Não, eu não divago neste momento. Apenas estou consciente e acredito nas duas agremiações do estado na Copa São Paulo do próximo janeiro. Acredito, disse, e com razão.

O Barras Futebol Club, embora estreante, disputará a Copinha com muita força e técnica, levando o nome piauiense com orgulho para o solo paulista. Com o futebol apresentado durante o certame, não há dúvidas de que o atual campeão piauiense da categoria possa, também, quebrar a “escrita” e passar à fase seguinte da difícil competição, porque a diferença de nível apresentada foi muito grande, entre o Leão do Marataoan e as demais equipes do estadual conquistado. O Barras, até o momento, mostra-se a equipe piauiense mais preparada de todas que disputaram a Copinha. O tricolor barrense integra o Grupo H, na cidade de Franca e jogará com Francana-SP, Atlético-PR e o estreante ASA-AL. Muito provável que os jogos sejam realizados no estádio José Lancha Filho, com capacidade para 14.686 pessoas.

O Fluminense Esporte Clube, sendo sua quarta Copa (2002, 2004 e 2011), pela última participação, e pela atual formação, também poderá se superar e, quem sabe, conquistar uma vaguinha na fase seguinte da Copa, coisa que, em 2011, quase acontecia, não fosse uma zebra em virtude da partida de estreia. Não, não é impossível, sobretudo quando se trata do Fluminense, o Tricolor do Piauí. “Caindo” no Grupo T, em Barueri, o Flusão piauiense enfrentará o Grêmio-SP, Palmeiras-SP e o Confiança-SE. Os jogos deste Grupo, talvez, serão disputados na Arena Barueri, com capacidade para 31.452 pessoas.

As duas equipes irão enfrentar clubes fortes. Mas, teoricamente, o Grupo T, do Fluminense, apresenta-se mais forte, já que nele estão Palmeiras e Grêmio Barueri, duas fortíssimas equipes de São Paulo.

São 96 participantes, distribuídos em 24 grupos e sedes da 44ª Copa São Paulo de Futebol Júnior, em janeiro, abrindo a temporada do futebol brasileiro em 2013.

Parnaíba – PI

Renneé Fontenele

_________________________

POR QUE O FLAMENGO FOI CAMPEÃO DA COPA PIAUÍ?

(Do Inferno ao Céu, a trajetória rubro-negra desde o ano passado merece atenção!)

09.10.2012

Não quero ser interpretado de maneira errônea… Não! Mas poderia, sim, resumir aqui, respondendo ao título indagador, com a simples e manjada expressão: persistência! Sim, muita perseverança, mesmo enfrentando vários problemas! Vou, contudo, elencar alguns fatores que, a meu ver, foram fundamentais para a conquista do título.

Ora, amigos e amigas internautas, não há lógica no futebol, e nós sabemos disso. Mas a lógica depende de circunstâncias, como muito acontece nos gramados. A primeira partida da final, entre River e Flamengo, cuja vitória tricolor fora incontestável, mostrava que equipe seria a campeã da referida Copa Piauí. Logo após o confronto, pelo placar e a vantagem riverina, pensavam muitos que o título já estava conquistado…

Erraram, sobretudo porque não perceberam (aqueles que acreditaram na conquista do título já na primeira partida) o poder de reação do Flamengo e, em especial, sua objetividade. Depois de estar perdendo pelo placar de 3 a 0, marcando dois gols na etapa final, o rubro-negro de Oliveira Canindé mostrava, por a mais b, que o jogo seguinte apresentaria outro contexto.

Se há uma razão “especial”, que seja apresentada, não é mesmo? Pois bem, o River foi previsível, entrando em campo já campeão, enquanto o Flamengo apresentava-se como outra “extremidade”. Além do mais (observem), há uma característica em Oliveira Canindé revelando um poder de reação satisfatório, quase sempre: foi assim quando enfrentou o próprio River, na partida inicial da final do certame; contra o Parnahyba, no estadual, por duas oportunidades, conseguindo resultados sobre a tática quase infalível de Moroni; a mesma força reagiu no momento certo, quando principiou perdendo para o Piauí no embate pela 5ª rodada da Copa, virando o jogo e conquistando o turno da competição, garantindo-se na final. Eis alguns fatores pertinentes!

O rubro-negro piauiense é merecedor de aplausos. Ademais, amigos e amigas, uma equipe que, em 2011, terminava o campeonato ocupando a penúltima posição na tabela, superando, apenas, a equipe florianense Princesa do Sul, chegando à final do campeonato estadual do ano seguinte, em 2012, conseguindo o vice-campeonato, e conquistando, enfim, o título da Copa Piauí com muitos méritos, diga-se, merece, evidentemente, todo o apreço do torcedor.

Parabéns, sim, ao Esporte Clube Flamengo, por toda trajetória e pelo objetivo alcançado com trabalho e, portanto, dignidade.

Parnaíba – PI

Renneé Fontenele

______________________

ALGUNS RUMOS DA COPA PIAUÍ 2012

(De um título quase Colorado, para Tricolor ou Rubro-negro!)

27.09.2012

A Copa Piauí mostrou números indiscutivelmente opostos aos do Estadual desta temporada. Contudo, não “entrarei” neste mérito, pelo menos no momento. Vou, entretanto, mencionar alguns pontos que, para alguns, foram importantes, mas, para outros…

O Campeão piauiense, Parnahyba Sport Club, participou da Copa e, como o mal quase sempre ronda a pós-festa, o elenco campeão fora vítima de fatores negativos, ocasionando problemas sequenciais, como atraso de salários, desânimo de jogadores e resultados em campo os mais surpreendentes. Ora, não era para menos! Serviu-lhe, então, a Copa Piauí de “pré-temporada”, já para o centenário em 2013.

Agora, situação mais delicada foi a do Colorado piripiriense. Em duas ocasiões, um “quase” restou ao 4 de Julho, ao final de todo o certame. No primeiro turno, a equipe não conquistou o título por perder três pontos em julgamento do TJD. No returno, necessitava apenas de uma simples vitória contra o River, perdendo o confronto na Arena Colorada, diante de sua torcida… Foi-se o título do returno e a vaga para a final do certame… A torcida colorada, que ano passado vibrara com mais um título conquistado, ficou a ver não navios, mas aguardando a vibração da torcida tricolor ou rubro-negra.

Pois bem, torcedor amigo, a Copa Piauí está chegando ao seu final e conseguindo, da maneira que pode, dinamizar as atividades dos seis clubes que mais pontuaram no estadual deste ano. A segunda vaga para a Copa do Brasil de 2013, pois, está em jogo, nas duas finais entre River e Flamengo. É aguardar os dois confrontos e esperar que sejam dignos de mais dois clássicos entre tricolores e rubro-negros.

Parnaíba – PI

Renneé C Fontenele

______________________

A DERROTA DO COMERCIAL POR 4 A 0 EM CUIABÁ!

Parnaíba – PI

17.08.2012

Que não caia sobre mim pingos de aço perfurantes em tarde ou noite revolta, em consequência do que direi: como o Comercial, por pior fase que passe, conseguiu sofrer uma goleada do Mixto?

Sem menosprezo ao adversário do Mato Grosso, evidentemente, mas com um pouco de juízo, em me pergunto: não estaria mais do que na hora de o Comercial deixar de disputar o Brasileiro da Série D, ainda que classificado fosse?

Meu Deus…! O Comercial, desde o ano passado, vem sofrendo goleadas e mais goleadas nessa competição nacional. E observem, amigos conterrâneos, que o Grupo em disputa não é forte, mesclando equipe um pouco superior com equivalentes e, até mesmo, inferiores.

Enquanto Sarah proporciona orgulho aos piauienses o Comercial desfaz todo sentimento de conquista, de vitória, de expectativa, transformando-se em símbolo de chacota. Ora, pois, sofrer goleada do Sampaio Corrêa, jogando em São Luís, tudo bem (além do mais, o Sampaio hoje está muito bem na competição, liderando o Grupo A2 com cem por cento de aproveitamento). Agora, enfrentar o Mixto, desfalcado, e com um elenco considerado razoável, pelo próprio torcedor alvinegro, tomando quatro gols de Nonato…, passando a considerar os destaques dos jornais mato-grossenses: “Nonato deslancha”; “Mixto goleia o atrasado Comercial”; dentre outros títulos que enobrecem o torcedor alvinegro do Prudente, revoltando os piauienses que enxergam além do nariz, é, no mínimo, fora de senso… não?

Ah, por favor, perdoem-me os torcedores do Comercial, mas o nosso Bode está sob chuva torrencial, e merece, por isso, descansar… à sombra de uma forte luz, e não de uma lanterna…!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: